domingo, 18 de abril de 2010 0 comentários

O Poeta e a Poetisa

Sobre o Poeta não sei dizer
Até porque não o conheço, acho eu
Mas Poetisa eu sei ser
Foi sempre esse o destino a ser meu.

Mas sobre o tal Poeta, muito ouvi
Que ele sempre estará idealizando um sentimento
Mas a Poetisa, a sinto e senti
Sei que ela sempre guarda um verso no pensamento.

Dizem que o Poeta transforma tudo em rima
E todos vão admirar o seu dom
Mas a Poetisa escreve qualquer coisa que exprima
Aquilo o que sente, mesmo se não for bom.

Falam que o Poeta é bom com as palavras,
Que elas tem ritmo dentro de sua mente
Mas penso que da Poetisa elas preferem ser escravas
Porque ela sim, realmente as sente.

Mas em conquistar o seu igual em forma de mulher
Poeta, não perca as esperanças
Já que como outra pessoa qualquer,
Poetisa e Poeta terão semelhanças.

Pois entre as palavras e o que sentem (ou não)
Ambos farão uma ponte
E podem perguntar ao Poeta, com admiração:
"Poeta, não seca a tua fonte?"

Não sei se o Poeta é assim sonhador,
Mas que a fonte da Poetisa não seca, ela sabe bem;
E se o Poeta é um fingidor,
Aí não digo nada: a Poetisa também.


Weena Potter 11/2009
 
;