domingo, 10 de outubro de 2010 2 comentários

Poeminha Curioso (para Nohama)

Mais de uma vez me perguntaram
"Esse poema, para quem foi que escreveu?"
E diante da minha resposta, pergunto eu
Mas o que é que esperavam?

O poeta sempre enfrenta esse dilema
E na verdade, não entendo a admiração
Pois se ele quisesse que soubessem a fonte de inspiração
Ele a colocava no título do poema!


Weena Potter 04/12/2009


sábado, 26 de junho de 2010 4 comentários

Eu escrevo...

Tentei imaginar o que as pessoas pensam do que eu faço.
Do porquê que eu escrevo.
Fiquei pensando, se me analisassem
O que concluiriam...?
Se perguntassem o que eu quis dizer com poesia?
Mas a verdade é que eu não quero que me estudem.
Não classifiquem meus versos.
Não tentem descobrir o motivo de existirem.
Não procurem saber o lugar, quando ou a situação em que surgiram.
Não escrevo porque o mundo precisa de meus versos.

Escrevo porque eles precisam sair de dentro de mim.




Weena Potter 22/02/2010
domingo, 18 de abril de 2010 0 comentários

O Poeta e a Poetisa

Sobre o Poeta não sei dizer
Até porque não o conheço, acho eu
Mas Poetisa eu sei ser
Foi sempre esse o destino a ser meu.

Mas sobre o tal Poeta, muito ouvi
Que ele sempre estará idealizando um sentimento
Mas a Poetisa, a sinto e senti
Sei que ela sempre guarda um verso no pensamento.

Dizem que o Poeta transforma tudo em rima
E todos vão admirar o seu dom
Mas a Poetisa escreve qualquer coisa que exprima
Aquilo o que sente, mesmo se não for bom.

Falam que o Poeta é bom com as palavras,
Que elas tem ritmo dentro de sua mente
Mas penso que da Poetisa elas preferem ser escravas
Porque ela sim, realmente as sente.

Mas em conquistar o seu igual em forma de mulher
Poeta, não perca as esperanças
Já que como outra pessoa qualquer,
Poetisa e Poeta terão semelhanças.

Pois entre as palavras e o que sentem (ou não)
Ambos farão uma ponte
E podem perguntar ao Poeta, com admiração:
"Poeta, não seca a tua fonte?"

Não sei se o Poeta é assim sonhador,
Mas que a fonte da Poetisa não seca, ela sabe bem;
E se o Poeta é um fingidor,
Aí não digo nada: a Poetisa também.


Weena Potter 11/2009
terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 1 comentários

Soneto de Intimação


Hoje eu exijo que esteja presente
Para que cumpra uma não-obrigação:
Me faça mais uma vez contente
Cultive essa esperança com dedicação.

Venha me buscar sem demora
Pois minha saudade está gigante
E quero que me leve embora
Com você, logo, nesse instante!

Peço que me leve com você
Para os lugares que me diz
Ou o primeiro que sua mente vê

Numa promessa não feita de me fazer feliz
E num passeio sem volta, pra não esquecer
Viva comigo a vida que eu sempre quis!



Weena Potter 19/11/08
 
;