domingo, 30 de agosto de 2009 3 comentários

Meus Versos

"Não espero que alguém veja beleza em meus versos. Nem que os repita para o mundo. Não espero que alguém venha a se encantar com eles e nem que me peçam para nunca parar de escrevê-los.
Não é para isso que os invento.
Eles existem porque eu os criei, e o fiz porque foi pra isso que eu nasci. Escrevo porque amo e não tenho outra forma de dedicar ao meu amor qualquer outra coisa.
Imagino, sim, que possam achar que faço pouco. Mas lhes digo que meus versos são tudo o que tenho. E me orgulho deles porque são puros.
Hoje, te escrevo não por ter um motivo especial, mas porque quis tê-lo por perto. Quando o faço, é quase como se estivesse aqui comigo, apesar de estarmos separados por longa distância. Eu o amo, e você será o único que sempre poderá dizer que possuiu meus versos. E mesmo aqueles que não escrevi são seus, pois se algum dia encontrar outra maneira de ter você, ainda lhe farei versos, só terei um motivo a menos.
Lhe escreverei porque eu nasci pra isso.
E você os terá porque os merece".

Weena Potter 21/06/08
terça-feira, 18 de agosto de 2009 3 comentários

E se...?

"E se te valesse a pena saber de mim?
E se eu, mesmo sofrendo não desistisse?
E se teu peito sentisse um amor que parece não ter fim?
E se eu, mesmo doendo, ainda fingisse?

E se a verdade, como uma flecha, te atingisse?
E se eu, mesmo lutando, te esquecesse?
E se antes de sequer chegar, eu partisse?
E se meus versos se apagassem sem que os lesse?

Você, mesmo tão longe, me imagina
Eu, mesmo querendo, não te conheço
Você, sem saber, a amar me ensina,
Eu, que nem te vi, teu amor mereço?"
quinta-feira, 13 de agosto de 2009 0 comentários

Apresentação

Vaidade


Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,

Acordo do meu sonho...
E não sou nada!...



Florbela Espanca
 
;